Conheça algumas metodologias ativas para aplicar no Ensino Híbrido

Diante das mudanças sociais dos últimos anos, o modelo de escola tradicional tem um enorme desafio pela frente: receber melhor uma geração que já nasceu em meio às tecnologias digitais da comunicação e que tem acesso constante e facilitado à informação, os chamados nativos digitais. A escola precisa se reinventar e reorganizar seu currículo, privilegiando metodologias ativas de ensino e aprendizagem. 

As metodologias ativas investem os alunos de protagonismo, colocando-os no centro do processo de aprendizagem e incentivando o pensamento crítico e autônomo. 

Você sabia que o Ensino Híbrido oferece as ferramentas ideias para colocar em prática as metodologias ativas de aprendizagem?

Quer saber mais sobre o Ensino Híbrido?

Baixe gratuitamente nosso e-book exclusivo “Desmistificando o Ensino Híbrido: Guia definitivo para implementar o Ensino Híbrido na sua Escola”

O Ensino Híbrido  combina experiências on-line e off-line em busca da integração dos ambientes virtual e presencial, expandindo os limites temporais e espaciais da sala de aula tradicional. Baseado na ideia de que cada criança é única e aprende de forma distinta, o Ensino Híbrido tem como objetivo a produção de diferentes experiências de aprendizado que respeitam as individualidades de cada estudante. 

A escola padronizada, que ensina e avalia a todos de forma igual e exige resultados previsíveis, ignora que a sociedade do conhecimento é baseada em competências cognitivas, pessoais e sociais, que não se adquirem da forma convencional e que exigem proatividade, colaboração, personalização e visão empreendedora. Os métodos tradicionais, que privilegiam a transmissão de informações pelos professores, faziam sentido quando o acesso à informação era difícil.

José Morán, Professor Doutor da USP

Portanto, não se trata apenas de colocar computadores e tablets nas escolas. Mais do que isso, é preciso repensar a cultura escolar. O ensino híbrido propõe que a escola reveja suas abordagens, repense e amplie os espaços de aprendizagem, bem como as relações de ensino e aprendizagem. 

Neste texto, apresentaremos alguns modelos e metodologias ativas que podem ser utilizadas na adaptação e promoção do Ensino Híbrido. Vamos lá?

Modelos e metodologias do ensino híbrido

Em geral, existem dois modelos de ensino híbrido: o modelo sustentado, mais próximo ao já praticado, e o disruptivo, que rompe completamente com o modelo tradicional de ensino e que, por isso, não é tão comum quanto o primeiro. No entanto, ambos fazem uso de metodologias ativas de aprendizagens, uma nova forma de ensinar e aprender que promovem melhores resultados.

Em geral, pode-se dizer que são atividades que fazem uso de diferentes tecnologias que incentivam a autonomia e a proatividade dos alunos, criando desafios e atividades que exigem a utilização de informações pertinentes para sua realização e que marcam o desempenho dos alunos ao longo da jornada, tornando as atividades mais lúdicas e atraentes. Os alunos se envolvem em atividades cada vez mais complexas, que incitam tomadas de decisão e exploração de novas estratégias.

Desafios e atividades podem ser dosados, planejados, acompanhados e avaliados com apoio de tecnologias. Os desafios bem planejados contribuem para mobilizar as competências desejadas, intelectuais, emocionais, pessoais e comunicacionais.

José Morán, Professor Doutor da USP)

Mas como fazer isso? 

Existem inúmeras possibilidades oferecidas pelo ensino híbrido. Vamos apresentar as mais usuais, todas promotoras da interdisciplinaridade, que é um dos focos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), e passíveis de serem aplicadas e adaptadas realidades:

Sala de aula invertida

Em uma sala de aula invertida, os alunos usam seu tempo fora da escola para aprender o conteúdo de forma independente, por meio de aulas em vídeo e outros materiais de pesquisa, e chegam à escola preparados para discussões e atividades de aprofundamento. Nesse modelo, o tempo em sala de aula é voltado para orientações e atividades práticas supervisionadas, em que os alunos trocam informações entre si e aprofundam os conhecimentos sobre o tema.

Rotação por estações

Criam-se diferentes estações independentes de trabalho com objetivos específicos. Cada estação se conecta ao objetivo central da aula. Os alunos devem, então, passar por todas as estações e concluir os objetivos. Os objetivos individuais de cada estação se complementam. Nesse modelo, as estações podem ser divididas entre estações físicas ou virtuais.

Rotação individual

Trata-se de um modelo bastante semelhante à rotação por estações. No entanto, aqui, os alunos não precisam passar por todas as estações, mas somente por aquelas relevantes ao seu ritmo e estilo de aprendizado.

Aprendizado baseado em projetos

A metodologia do aprendizado baseado em projetos propõe que os alunos aprendam de forma colaborativa e por meio da resolução de situações problemas que devem ser resolvidos a partir de sua própria vivência. O foco é o desenvolvimento de um perfil investigativo e crítico nos alunos, além da construção autônoma do conhecimento.

Gamificação

Utiliza mecânica, abstrações e metáforas oriundas da cultura e dos estudos dos jogos para promover uma aprendizagem proativa e aumentar a motivação. É importante ressaltar, no entanto, que uma experiência gamificada nem sempre acontece por meio de um jogo propriamente dito.

Aprendizagem baseada em jogos

A metodologia game based learning propõe uma experiência de aprendizagem baseada em jogos digitais ou físicos. É importante ressaltar que aprendizagem baseada em jogos não é a mesma coisa que gamificação. Para entender melhor a diferença, fique ligado nos nossos próximos posts e se inscreva na nossa newsletter para receber atualizações em primeira mão.

Conheça alguns exemplos no Brasil 

A Escola Monteiro Lobato COC, parceira Educacross, utiliza metodologias ativas no seu dia a dia, promovendo uma aprendizagem prazerosa, onde o aluno é o protagonista de seus saberes

Sem dúvida, a melhor forma de propor possibilidades de Ensino Híbrido e Metodologias Ativas é observar exemplos de escolas inovadoras. Vamos compartilhar cinco excelentes exemplos de escolas brasileiras parceiras Educacross.

Conceito Educacross

A Educacross está presente em 20 estados do país e em Escolas inovadoras e de referência. A Plataforma oferece experiências diferenciadas e complementares a cada ator educacional por meio da convergência de metodologias robustas e integradas, como jogos digitais, gamificação, personalização e evidências. As aulas Educacross desenvolvem o protagonismo, o engajamento e a metacognição. 

Em pesquisas realizadas pela Educacross junto à FAPESP com mais de 300 alunos, as evidências coletadas demonstraram que os alunos desenvolvem pelo menos dez vezes mais desafios na Plataforma do que atividades no papel e que o desempenho das crianças é pelo menos duas vezes melhor na Plataforma do que no papel. Os resultados mostram que, em uma aula de 45 minutos, os alunos resolvem uma média de 70 desafios nos jogos digitais. Comparando à quantidade de exercícios presentes nos livros didáticos, isso corresponde a mais de um mês de atividades em sala de aula e tarefas no livro. 

Escola Paideia

Uma escola marcada pelo vanguardismo com 46 anos de existência, foi a primeira escola a implantar a Educacross. A Escola Paideia investe em formação continuada de seus professores e promove situações de aprendizagem colaborativas integrando as áreas de conhecimento e promovendo a interdisciplinaridade. 

Escola Concept

A Escola Concept é marcada por um ambiente de aprendizagem baseado em projetos e a organização de seu espaço físico reflete isso. Com arquitetura completamente modular, os ambientes e salas de aula da Escola Concept se adequam às diferentes necessidades. O programa bilíngue da escola é projetado para a vida prática e para a mentalidade empreendedora da colaboração e cocriação, formando crianças com fluência digital e orientações éticas para uma vida mais sustentável e global.

Colégio Monteiro Lobato COC

O Colégio Monteiro Lobato – Franca é um exemplo na utilização de metodologias ativas, unindo experiências práticas e interdisciplinaridade por meio do uso de tecnologias inovadoras e disruptivas. Alguns exemplos são a plataforma gamificada  Educacross, o uso do LEGO Education e  disciplinas como CDR (Centro de Desenvolvimento de Raciocínio)  e CDLP (Centro de Desenvolvimento da Língua Portuguesa). O CML também se destaca por sua estrutura física ampla, permeada pela natureza. A escola está localizada em uma área de mais de 20 mil metros quadrados que  contempla áreas esportivas e promove a sustentabilidade ambiental. A fazendinha Monteiro Lobato tem animais como jabuti, peru, coelho e vaquinha, propiciando desenvolvimento da consciência ecológica das crianças e responsabilidade com o meio ambiente.

Escola da Vila 

A Escola da Vila é marcada pelo seu forte projeto pedagógico, um dos pioneiros na educação construtivista no Brasil. São privilegiadas situações de aprendizagem significativas e multidisciplinares, por meio de projetos ligados a situações reais. A Escola da Vila é uma referência na formação de professores e seus cursos, oferecidos no Centro de Formação da Vila, são frequentados por professores de todo o Brasil. 

Escola Municipal Maria Fernanda

A Escola Municipal Maria Fernanda Piffer é um exemplo dos benefícios trazidos pelas metodologias ativas mesmo em contextos econômica e socialmente desfavoráveis.

A parceria com a Educacross teve início em julho de 2015 e o bom desempenho dos alunos pôde ser observado presencialmente durante encontros semanais, por métricas da própria plataforma, por avaliação realizada na escola e por depoimentos dos professores e diretores da escola. No final de 2016, a melhora do desempenho dos alunos foi comprovada por meio de uma avaliação municipal. Dois anos depois, em 2018, os resultados publicados pelo IDEB demonstram a notável melhoria dos resultados gerais da escola. De 2009 para 2017 tivemos um aumento no IDEB de 4.4 para 7.0, valor um ponto e meio acima do da meta projetada inicialmente para o período.

Quer todos os benefícios das metodologias ativas de aprendizagem e do Ensino Híbrido na sua escola?

Em meio a tantas mudanças na educação, as metodologias ativas e o Ensino Híbrido vieram para ficar, tomando conta dos planejamentos pedagógicos de escolas em todo o mundo. No entanto, para trazer todos os benefícios das metodologias ativas de aprendizagem e do Ensino Híbrido para a Escola, é necessário realizar uma implementação bem planejada.

Educacross: metodologias ativas para consolidar o Ensino Híbrido
Educacross: metodologias ativas para consolidar o Ensino Híbrido

A Educacross foi construída a partir da união de várias metodologias essenciais para o sucesso do ensino e aprendizagem do século XXI. A Plataforma é construída a partir de uma organização modular que apresenta grande sinergia com os livros didáticos e sistemas de ensino, criando uma união potente entre o livro e o jogo digital e ampliando as experiências de aprendizagem.

Nós da Educacross, temos uma experiência consolidada em otimizar o Ensino Híbrido. Quer conhecer mais? Agende uma conversa conosco!

Fontes:

MORAN, J. Mudando a educação com metodologias ativas. In: SOUZA, C.A.; MORALES, O.E.T. (org.). Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. Ponta Grossa: UEPG/PROEX, 2015. v. 2, p. 15-33. Disponível em: https://www.teachthought.com/learning/12-types-of-blended-learning/

Tags: |

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.